Detox, dieta saudável que recupera a elegância feminina! - Algarlife Detox, dieta saudável que recupera a elegância feminina! - Algarlife

Detox, dieta saudável que recupera a elegância feminina!

Todas as grandes estrelas by Hollywood seguidas por uma multidão infindável de world lady´s, surpreendem com silhuetas que impressionam pela elegância, contorno de linhas e dimensão perfeita, provocando a maior perplexidade em certos extratos da comunidade feminina, que desconhecendo a força da Detox, duvidam da facilidade com que as famosérrimas, exibem toda aquela elegância.

Mas afinal… o que é que aquela gente tem andado a fazer para recuperar tão facilmente silhuetas quase perfeitas, em corpos que já somam muito aniversários, ou ocorrências que originaram ocasionalmente, alguma recente deformação estético corporal.

A Detox… sim a Detox… A Detox é uma dieta novidade que está a atrair muita boa gente e que já apresenta resultados fantásticos e visíveis em figuras públicas, nomes que andam geralmente pelas capas de grandes revistas, tipo, Juliana Paes, Jennifer Aniston, Beyoncé ou Demi Moore.

A propósito desta dieta intrigante, o site “Vírgula” publica um trabalho de Márcia Garbin, que entrevista uma conceituada nutricionista brasileira, Larissa Paiva, que esclarece as dúvidas sobre tão curiosa solução estética.

SIC.Vírgula: A especialista brasileira, explica que a dieta de desintoxicação é uma técnica da nutrição funcional cujo objetivo é ajudar o organismo a eliminar toxinas e outras substâncias prejudiciais à saude.

Esta dieta pode durar entre uma semana e trinta dias, com refeições bem fracionadas, geralmente com intervalos de duas horas. A ideia é fornecer alimentos que apresentem propriedades funcionais para que os órgãos, principalmente o fígado e o intestino, consigam metabolizar e eliminar toxinas (qualquer substância que possa irritar o organismo reduzindo a vitalidade e o funcionamento orgânico).

Qual é o sinal para perceber que esse é o tipo de dieta indicada?

Os principais sintomas que indicam que o organismo pode estar intoxicado, estão relacionados com a alimentação, são sinais como fadiga, dor de cabeça, dor muscular, gripes frequentes, repetida infecção urinária, obstipação, azia, inchaço, gases, dor abdominal, ansiedade e depressão.
“O importante é perceber se está a consumir alimentos à base de açúcar, farinha branca, carne vermelha e álcool em excesso, pois estes libertam substâncias tóxicas pró-inflamatórias nas células. Essa ação gera desequilíbrios e o organismo responde através desses sinais e sintomas”.
A nutricionista explica ainda como absorvemos uma multiplicidade de toxinas; “Geralmente elas são absorvidas através da poluição ambiental, do tabaco, de metais tóxicos, dos aditivos alimentares (adoçante e corante), dos tóxicos migrantes das embalagens plásticas, das bebidas alcoólicas, do açúcar, da gordura saturada e dos agrotóxicos”.

A solução está no menú desintoxicante:

Em geral, um menú detoxificante deve ser composto por frutas, verduras e legumes orgânicos, (biológicos) livres de agrotóxicos, peixe, ovos caseiros (de preferência), azeite extravirgem e muita água mineral, água de coco, sumos naturais e chás.
Larissa Paiva recomenda que durante a preparação da refeição seja utilizado temperos naturais, como cebola, alho, alecrim, manjericão, tomilho, orégano, sálvia, canela, gengibre e açafrão.

E para evitar a intoxicação?

– Deve recusar-se a gordura saturada existente nas carnes e nos embutidos, devem evitar-se os cremes de leite e a gordura trans (ácidos graxos insaturados) de algumas margarinas, massas folhadas, gelados, biscoitos, alimentos congelados e fritos;
– Não se deve consumir açúcar, este deve ser substituido por mel ou um doce natural;
– Não se deve ingerir bebidas gaseificadas e sumos industriais que geralmente contém uma excessiva quantidade de açúcar;
– Deve-se evitar os alimentos à base de farinha branca, devendo esta ser substituida por farinha de banana verde ou por farinha de aveia, que são mais ricas em fibra e amido resistente, sendo benéficas para o intestino;
– Deve evite-se as carnes assadas em carvão;
– A confeção das refeições cozinhadas deve ser sempre em recipientes (panela/taxos) de inox ou vidro, para evitar a contaminação de metais pesados;
– Nunca se deve aquecer a comida ou bebida, utilizando recipientes de plástico ou com revestimento que contenha bisfenol A, por se trata de uma substância tóxica.

Para Iniciantes:

Larissa Paiva adianta que para seguir esta dieta, é importante começar por equilibrar a flora intestinal. “Recomendando o consumo de fibras, amido resistente, oligossacarídeos que estão naturalmente presentes em alimentos de origem vegetal, como o são o tomate, a cebola, o alho, a banana, a aveia, o mel, os brotos (alfafa, feijão), os talos e as folhas.
Também pode ser consumido algum probiótico, geralmente encontrado em certos iogurtes e leites fermentados ou na forma de cápsulas”, afirma aquela especialista.
Qualquer pessoa que apresentar sintomas ou sinais de excesso de toxinas pode dar início a uma dieta de detoxificação.
“A dieta só não é recomendada para crianças, grávidas, lactantes ou indivíduos em tratamento médico, como o é a quimioterapia, a radioterapia e em toma de imunossupressores”.

Fonte e imagem: Vírgula Lifestyle
Adaptado do trabalho de Márcia Garbin e das explicações da nutricionista Larissa Paiva




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »