Óleo de Rosa Mosqueta evita a desidratação da pele! - Algarlife Óleo de Rosa Mosqueta evita a desidratação da pele! - Algarlife

Óleo de Rosa Mosqueta evita a desidratação da pele!

O óleo de Rosa Mosqueta destaca-se entre os diversos óleos vegetais, por ser um óleo de características muito específicas, porque contém na sua composição, cerca de 80% de ácidos graxos polinsaturados, sendo os restantes, Linoléico e Linolênico, ácidos graxos essenciais,

Os ácidos graxos essenciais são aqueles que o organismo não pode sintetizar e que devem ser obtidos da natureza, em particular do reino vegetal.

Estes ácidos graxos são considerados indispensáveis à síntese de prostaglandinas e são responsáveis pelo processo de regeneração celular, mecanismos de defesa e dos processos fisiológicos e bioquímicos, relacionados com a regeneração dos tecidos.

Merecem maior destaque os ácidos graxos essenciais, que além de serem necessários á formação da estrutura das membranas das células da epiderme, ainda lhe conferem propriedades de fluidez, flexibilidade e permeabilidade cutânea. Características que fazem do óleo de Rosa Mosqueta um produto aconselhado para o tratamento e regeneração da membrana celular dos tecidos cutâneos.

O óleo de Rosa Mosqueta ajuda a prevenir e atenuar o envelhecimento prematuro da pele, diminuindo as linhas de expressão, especialmente no contorno dos olhos, estrias e rugas superficiais.

O óleo de Rosa Mosqueta tem a função de evitar a desidratação da pele, devido à presença dos ácidos graxos essenciais, que atuam formando uma barreira de impermeabilidade que impede a perda de água transepidémica (TEWL).

Extração do Óleo de Rosa Mosqueta

Para se obter um óleo de excelente qualidade, é necessário começar por fazer uma boa seleção das sementes de Rosa Mosqueta. É muito importante obter sementes com teor de baixa umidade e sejam de boa qualidade, para se obter o melhor rendimento do óleo.

Prensagem a frio

As sementes de Rosa Mosqueta são prensadas numa prensa de baixa resistência, controlando a temperatura para que não exceda os 40°C, para não afetar as propriedades e características originais do óleo.

No final do processo de prensagem, deve-se adicionar um agente antioxidante natural (Vitamina E) para promover a estabelização do óleo e assegurar a sua proteção quando em stock.

De seguida o óleo é submetido a um processo de arrefecimento até baixar aos 6ºC, separando e eliminando pelo processo de cristalização, a as ceras, ésteres, as resinas e os sólidos que tenham permaneça no óleo. De seguida procede-se à filtragem utilizando um filtro prensador, ou uma centrifugadora.

Fonte: Herbineiro




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.