Promontório de Sagres candidato à Marca do património Europeu!

12

Promontório de Sagres que é Monumento Nacional classificado, foi selecionado pela autoridade nacional responsável pela pré-seleção, por unanimidade, a par com Mértola Vila Museu, para a submissão de candidatura à Marca do Património Europeu (MPE), em reunião que decorreu esta sexta feira (30), na Sala do Conselho do Palácio Nacional da Ajuda, informa a Direção Regional de Cultura do Algarve.

O projeto de candidatura Promontório de Sagres, que foi apresentado pela Direção Regional de Cultura do Algarve, entidade que tutela o Monumento, considera os seguintes elementos justificativos:

1. Sensibilização para a importância europeia do sítio, através de ações de informação (p. ex., sinalização, formação do pessoal, recursos Internet, etc.);
2. Organização de atividades educativas, especialmente vocacionadas para crianças e jovens, tendentes a melhorar a compreensão da história comum da Europa e do seu património;
3. Promoção do multilinguismo;
4. Troca de experiências/participação em projetos no âmbito de redes de sítios distinguidos com a MPE;
5. Promoção da visibilidade e atratividade do sítio a nível europeu, nomeadamente utilizando as novas tecnologias e os meios digitais, e explorando sinergias europeias;
6. Organização de atividades artísticas e culturais que promovam profissionais e artistas europeus ou reforcem a ligação entre o património e a criação contemporânea.

Após a conclusão do actual Projecto de Requalificação e Valorização do Promontório de Sagres (PRVPS), uma das principais prioridades da Direção Regional de Cultura do Algarve, com finaciamento do Turismo de Portugal e do POAlgarve 21, pretende-se manter a gestão, supervisão, e acompanhamento da Fortaleza de Sagres exclusivamente pública.

A visão a desenvolver para o Promontório de Sagres, no âmbito da Marca Património Europeu, irá refletir a singularidade do Monumento Nacional, devido à sua importância geográfica e contextualização histórica, no âmbito da Epopeia dos Descobrimentos Portugueses. Irá também valorizar a oferta cultural, turística e de lazer na região do Algarve potenciando uma maior exploração dos seus recursos, dinamizando assim a procura turística.

A missão do Promontório de Sagres será a de proporcionar aos seus visitantes uma experiência única, numa perspectiva de contemplação do Monumento em todas as suas vertentes, enquadrada pedagogicamente pela História que está associada à Fortaleza de Sagres.

A proposta para o Promontório a partir de 2016 na sequência da conclusão do PRVPS pretende implementar um modelo de gestão sustentável que abranja o conjunto de todos os sítios visitáveis afetos à DRCAlg. Os valores simbólicos, históricos e físicos do Promontório de Sagres satisfazem o objetivo da MPE, que é dar visibilidade a sítios que celebrem e simbolizem a integração, os ideais e a história da Europa.

Outros patrimónios estão presentes para acentuarem a dimensão histórica da paisagem cultural, nomeadamente uma das maiores concentrações de menires do Megalitismo na Europa, só superada pela Bretanha francesa ou a memória da Igreja do Corvo, entre os séculos VIII e XII, o mais importante local de peregrinação dos cristãos moçárabes.

A história do Promontório de Sagres está diretamente relacionada com outros bens culturais localizados no extremo oeste do Algarve, e que configuram um ‘cluster’ de sítios particularmente relevantes para a história europeia: a Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, que remete para a dimensão religiosa da epopeia portuguesa e ibérica e para o resgate de cativos nesta fronteira da Cristandade, a cidade de Lagos, sede do empório comercial henriquino, que recebeu os primeiros escravos negros trazidos para a Europa desde a África subsaariana – tráfico relembrado no edifício chamado «Mercado dos Escravos» e testemunhado pelos vestígios, no Vale da Gafaria, do mais antigo local de enterramento de escravos negros existente em território europeu-, povoação que em meados do século XVI, seguindo um projeto de Miguel Arruda, foi dotada com a primeira muralha abaluartada construída com preceitos modernos no território português.

O conjunto de fortalezas da Praça de Sagres, que incluem as fortalezas de São Vicente do Cabo, de Beliche e da Baleeira, são um notável património cultural subaquático, que inclui os despojos visitáveis do navio l‘Océan, que testemunha um episódio da Guerra dos Sete Anos e fazem de Sagres um destino privilegiado do mergulho cultural na Europa.

Fonte: DRCA




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.