Em 2014 realizaram-se no Algarve 1200 testes VIH/Sida!

18

Os profissionais de saúde da Administração Regional de Saúde do Algarve, realizaram em 2014, nos Centros de Saúde da Região, 1192 testes rápidos para deteção da infeção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH), o que corresponde a cerca de 36% do total de testes realizados a nível nacional, no âmbito do programa de diagnóstico precoce da infeção nos cuidados de saúde primários (3300), informa hoje a ARS Algarve.

O Centro de Aconselhamento e Deteção Precoce da Infeção pelo VIH/SIDA (CAD) do Departamento de Saúde Pública e Planeamento da ARS Algarve, juntamente com os Conselhos Clínicos e Unidades de Saúde Pública dos três ACES da região (ACES Central; ACES Sotavento e ACES Barlavento), têm apostado desde 2013 na formação dos profissionais de saúde das diferentes Unidades dos cuidados de saúde primários, para que no âmbito da sua prática clínica disponibilizem a realização do teste VIH e prestem aconselhamento aos seus utentes, com o objetivo de aumentar o número de pessoas a realizar o rastreio para a infeção pelo VIH/Sida.

Dos 1192 testes efetuados durante o ano de 2014 nos Centros de Saúde do Algarve, 6 foram reativos, o que corresponde a 0,5% do total dos testes realizados. Estes utentes foram de imediato encaminhados para as consultas hospitalares.

O resultado do teste rápido do VIH, que é gratuito e anónimo, permite disponibilizar o resultado ao utente em 20 minutos, ficando o mesmo a conhecer a sua situação perante a infeção VIH/Sida.

O acesso à realização do teste e aconselhamento é uma oportunidade para as pessoas infetadas por VIH serem detetadas e iniciarem o tratamento mais precocemente, melhorando desta forma a sua qualidade de vida e diminuindo a probabilidade de transmissão da infeção na comunidade. Por outro lado, constitui uma oportunidade para encorajar as pessoas que não estão infetadas a manter o seu estado de seronegatividade.

De destacar que a Norma da Direção-geral da Saúde, divulgada a 10 de dezembro de 2014, sobre «Diagnóstico e Rastreio Laboratorial da Infeção pelo VIH», veio reforçar a importância da deteção precoce, ao recomendar que todos os indivíduos com idade compreendida entre os 18 e 64 anos devem efetuar este rastreio.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.