Igreja da Luz - Lagos - crd_pdescobrimentos

Património da Freguesia da Luz carece de valorização

12

A Assembleia Municipal de Lagos aprovou no passado mês de Abril, uma Moção no sentido de serem tomadas medidas para salvaguardar e valorizar o património classificado da Freguesia da Luz.

A Moção da AM de Lagos, refere que: “A Freguesia da Luz dispõe no seu território de um apreciável número de peças de património construído, classificados de interesse público por sucessivos Decretos desde 1944, e um vasto número de sítios arqueológicos disseminados na área da Freguesia, identificados no PDM de Lagos.

Estão classificados de interesse público a ‘Capela-mór da Igreja da Luz’, pelo Decreto n.º 33.587, de 27 de março de 1944; o ‘Castelo da Senhora da Luz’, pelo Decreto n.º 129/77, de 29 setembro; e a ‘Estação arqueológica romana da Praia da Luz’, pelo Decreto n.º 26-A/92, de 1 junho.

Nos sítios arqueológicos, o PDM inclui, entre outros, o menir do Ferrel, a anta da Quinta da Sra. da Luz, estações de ar livre do Ferrel e da Cruz de Pedra.

No entanto, para a AM Lagos, é inexplicável que não se encontre, nas listagens do património no PDM, qualquer referência ao Forte de Almádena.

Em relação ao património de interesse público, verifica-se que não está devidamente identificado e valorizado como tal, quer aos olhos dos residentes, quer como elementos culturais caracterizadores da Freguesia e informadores para os visitantes e turistas.

A estação arqueológica romana, além da falta de identificação, não dispõe de proteção que a salvaguarde de curiosos em busca de recordações e de intervenções desadequadas.

Por outro lado, um simples olhar sobre o castelo da Senhora da Luz, mais conhecido por Fortaleza, repara que, além da falta de identificação, tem sofrido ao longo dos anos obras que, contrariando a proteção legal que o classifica como monumento de interesse público, lhe desfiguraram a imagem e alteraram a forma, nomeadamente do lado poente. Esta situação, lesiva da qualidade e identidade histórica da Fortaleza, só pode ser atribuída a incúria por parte de responsáveis pela proteção do património público.

Por todas estas razões e tendo em conta que as exigências do turismo, tão importante na Freguesia, vão cada vez mais para além das belezas naturais panorâmicas e do sol e praia, reveste-se de grande importância e urgência a salvaguarda e valorização do património, assim como a sua divulgação.

Neste sentido, a Assembleia Municipal de Lagos, deliberou, ‘Recomendar às entidades responsáveis, Ministério da Cultura e Câmara Municipal, a tomada de medidas necessárias à salvaguarda e valorização do património classificado da Freguesia da Luz’; ‘Recomendar à Câmara Municipal de Lagos e à Junta de Freguesia da Luz que procedam para que o património da Freguesia seja devidamente identificado no local e que sejam editadas brochuras bilingue com informação e interpretação dos monumentos e sítios’.

A AM Lagos deu conhecimento desta deliberação ao Ministério da Cultura, à Câmara Municipal de Lagos, à Junta de Freguesia da Luz”.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.