Turista que visitou o Algarve em 2013, gastou 81,3€/dia! - Algarlife Turista que visitou o Algarve em 2013, gastou 81,3€/dia! - Algarlife

Turista que visitou o Algarve em 2013, gastou 81,3€/dia!

Cada turista que visitou o Algarve em 2013, gastou em média 81,3€ por dia, com o registo de um gasto médio na época alta, superior aos 85,4€ diários, enquanto na época baixa o gasto médio diário por visitante, cifrou-se na ordem dos 72,9€, informou hoje o INE.

O Pacote Turístico e o Alojamento foram as rubricas com maior importância no conjunto dos gastos realizados. Estas rubricas representaram quase metade do montante despendido na viagem, seguindo-se as despesas com a Restauração e com o Transporte Internacional.

De um total de 41 542 entrevistas validadas, 8 210 corresponderam a indivíduos que permaneceram maioritariamente na região do Algarve.

Independentemente da época do ano, a principal motivação das visitas de não residentes ao Algarve foi o Lazer, Recreio e Férias, representando mais de 90% das viagens totais.

A Visita a Familiares e Amigos justificou as deslocações de cerca de 7% dos turistas, enquanto os Motivos Profissionais ou outros motivos pessoais, apresentaram uma importância residual de apenas 1,2%.

Embora com uma representatividade muito reduzida para a região, os inquiridos não residentes que se deslocaram ao Algarve por Motivos Profissionais ou de Negócios foram os que despenderam o montante médio diário, mais elevado, em especial na época Alta, na qual o valor do indicador do GMDpc atingiu os 132,9€.

Já os turistas que visitaram o Algarve, no período de inquirição, por motivo de Lazer, Recreio e Férias, realizaram gastos médios diários durante a sua estadia de 82,8€, valor que se acentuou ligeiramente na Época Alta atingindo os 86,9€.

O motivo de Visita a Familiares e Amigos foi o que gerou o menor GMDpc (58,4€) pelo facto que muitos dos inquiridos que indicaram este motivo não realizarem gastos com alojamento.

São dados dos “Inqéritos aos Gastos Turísticos Internacionais” (IGTI), ralizados em dois períodos, o primeiro de 22 de julho a 18 de agosto (“época alta”) e o segundo de 21 de outubro e 17 de novembro (“época baixa”), hoje divulgados pelo INE e que visaram a recolha de informação sobre gastos em turismo a indivíduos não residentes, que atravessaram as principais fronteiras do país (rodoviárias e aéreas).




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.