Obras na Praia Dona Ana suscitam queixa crime da Almargem

13

A Almargem – Associação de Defesa do Património Cultural e Ambiental do Algarve, considera a intervenção na Praia Dona Ana em Lagos, “um grave e premeditado crime ambiental que não pode ficar impune”.

A Associação já anunciou que vai apresentar na Comissão Europeia uma queixa contra o Estado português e no Ministério Público uma outra queixa crime contra o Ministério do Ambiente, pelo atentado ambiental originado pelas obras que estão a ser realizadas naquela praia.

A Praia de Dona Ana Ana, considerada internacionalmente “uma das mais bonitas do mundo”, com inúmeros prémios atribuídos pela valorização dos utilizadores, está a ser alvo de uma intervenção, com o prolongamento do areal em vinte e cinco metros e descarga de toneladas de areia considerada de péssima qualidade, que não tem rigorosamente nada a ver com o areal caraterístico daquela praia.

A Almargem denuncia ainda a destruição do ecossistema “do mundo submarino e da paisagem marítima naquele trecho da Costa de Oiro” e a “construção de um dique com 50 metros de extensão entre a arriba da zona setentrional da praia e o Leixão dos Artilheiros”.

“A Associação Almargem lamenta profundamente que, no início da época balnear, a ABAE e a Quercus não tenham aceite o pedido de retirada à Praia de Dona Ana, respectivamente, dos galardões Bandeira Azul e Qualidade de Ouro, os quais ficarão, assim, para sempre manchados e associados ao crime que destruiu uma das praias mais bonitas do mundo”.

Como se lê no comunicado da Associação “Apesar da oposição e dos protestos generalizados de vários sectores da sociedade, a obra de destruição da Praia de Dona Ana está prestes a ser concluída”.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.