Gastronomia Algarvia no Egito em encontro Internacional SlowMed!

16

Seis equipas internacionais do projeto SlowMed, vão reunir durante quatro dias, para aprofundar o trabalho que está a ser realizado em Portugal, Egito, Espanha, Itália, Palestina e Líbano e para delinear em conjunto, as próximas etapas da cooperação, neste Encontro Internacional que decorre entre 26 e 30 de Outubro, na Biblioteca de Alexandria, no Egito.

Durante estes dias, a representação portuguesa, vai apresentar aos participantes os pratos que o Local Working Groups – LWG português considerou mais representativos da gastronomia mediterrânica, no Algarve, num exercício gastronómico de simbiose entre a tradição e a inovação.

“Cataplana de Pintada com Batata-doce de Aljezur e Mexilhão” e “Polvo de Santa Luzia com Xarém de Ameijoa Branca e espinafre salteado” são as duas receitas escolhidas pelos Chefs do projeto SlowMed para representarem Portugal neste Encontro Internacional

O LWG Português integra quatro chefs, Adérito Almeida e Abilio Guerreiro, da EHTA, Margarida Vargues e Pedro Beleza, com a consultoria do chef José Niza, da Tertúlia Algarvia, quatro cineastas, Jorge Mestre Simão, do CIAC-UAlg, Fúlvia de Almeida, Ana Medeira e Rodrigo Cartegiano, uma nutricionista, Catarina Vasconcelos e Susana Rosa, especialista em comunicação e alimentação.

O Projeto SlowMed, apoiado pelo programa ENPI CBC-MED, tem como objetivos consagrar a Dieta Mediterrânica como um estilo de vida saudável e o Slow Food como uma forma de diálogo cultural entre os povos do mediterrâneo, visando, incentivar a preservação e conservação do património gastronómico, cultural e artístico do Mediterrâneo, promover o reconhecimento da gastronomia como uma forma de expressão cultural e artística e de aproximação entre os povos do mediterrânico e estimular a cooperação económica, cultural e institucional no campo da Dieta, Cultura e Arte Mediterrânica.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.