Férias amargas para incautos que alugam casas a burlões! - Algarlife Férias amargas para incautos que alugam casas a burlões! - Algarlife

Férias amargas para incautos que alugam casas a burlões!

Fazer férias mais baratas pode transformar-se em pesadelo para alguns incautos, que facilitam, atraídos por preços “milagrosos”, negociando o aluguer de uma casa para férias, não com agentes, mas com “gentes” de identidade não confirmada, que oferecem caraterísticas e preços que bem avaliados, suscitam muitas dúvidas.

Hoje volta a ser notícia o número de queixas apresentadas junto da PSP e da GNR, por cidadãos burlados, no aluguer de casa para férias, depois de terem adiantado o pagamento de uma parte do valor negociado, atravéz de depósitos em contas bancárias com titularidade falsa.

As vinte e duas queixas apresentadas este ano junto das autoridades policiais e relacionadas com burlas no arrendamento de imóveis para férias, são um número inferior às vinte e nove registas em 2013, mas não podemos esquecer que ainda só estamos, no início da segunda quinzena de Agosto.

Segundo uma fonte da GNR em declarações à Lusa, “na maior parte dos casos, as pessoas fazem acordos verbais, transferindo o valor do adiantamento para uma conta bancária, cuja titularidade pertence a uma identidade falsa”, sendo muito difícil às forças policiais, chegarem depois aos burlões.

A maioria dos burlados negoceia a reserva em sites ou anúncios particulares, que exibem imagens apelativas de moradias ou apartamentos, que não existem, ou fazem sequer, parte do mercado de arrendamento, “Muitas vezes os turistas encontram lojas ou terrenos em vez das casas que pensam ter arrendado”, afirma o oficial da GNR.

Nunca se deve facilitar, sobretudo quando a oferta e caraterísticas, tipo localização, piscinas, vistas, recheio e até em alguns casos, serviços, o valor proposto está muito abaixo dos padrões normais do mercado de arrendamento para férias, negócios que até podem parecer oportunidades, mas que numa boa parte dos casos, transformam as vítimas em “burlados”.

Mas também existem situações em que a proposta apresenta aspetos normalíssimos, não se excede em nada, o preço está muito próximo do normal e a casa sim, essa é super atrativa, a localização é ótima e depois de uma tentativa de regateio, percebemos que somos capazes de fazer baixar o preço e até conseguimos, de repente, só porque nos consideram simpáticos e boa gente, o preço cai para um valor super aliciante, abaixo do normal, cuidado.

Antes de concretizar um negócio dessa natureza, com pessoas que nos são completamente desconhecidas, é recomendável, fazer alguma pesquisa prévia na internet, por exemplo, a ver se descobrimos referências ou denúncias relacionadas com a pessoa com quem estamos a negociar, em foruns ou comentários.

Existem igualmente outras formas de obtermos informação sobre a casa, o proprietário, as caraterísticas etc. Para tanto, basta não nos precipitar-mos, sobretudo se o tempo que nos é dado para uma resposta é demasiado curto ou se é feito algum tipo de pressão, para nos decidir-mos imediatamente, o que pode significar que o negócio em questão, pode não ser o que desejamos.

Imagine que tem os dados da localização da casa ou apartamento e depois de alguma pesquisa na internet, até descobre o telefone do supermercado situado no prédio ou próximo da casa que está a negociar e fica a saber, no contato que estabelece, que o dito imóvel, pertence a cliente ou agente conhecido do proprietário ou dos empregados, dos quais obtém informação, que não corresponde àquela que lhe foi transmitida, durante a negociação prévia.

Carlos Santomor




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.