Alunos das Escolas de Hotelaria com boas taxas de emprego

51

A taxa de empregabilidade dos alunos das Escolas de Hotelaria e Turismo portuguesas, tem estado a crescer de forma muito positiva, como o demonstra um estudo recente sobre a “Inserção Profissional” no setor, dos alunos destas escolas.

Entre 2011 e 2012, o valor de empregabilidade destes alunos, aumentou 10 pontos percentuais, de 41% para 51,6%, tendo a taxa de atividade (emprego + prosseguimento de estudos) de quem estudou nos estabelecimentos geridos pelo Turismo de Portugal, crescido para 72,9%.

De acordo com o Estudo referido, 242 alunos encontraram emprego no final do seu percurso escolar, sendo de realçar que 77% deles entraram no mercado de trabalho em menos de três meses e metade obteve colocação em menos de um mês, com a maior taxa de empregabilidade direta (63%) associada aos Cursos de Especialização Tecnológica.

Os cursos que apresentam maiores taxas de atividade são os de Técnicas de Serviço de Restauração e Bebidas (83%) e Gestão e Produção de Cozinha, com uma taxa de 78%.

De acordo com Maria de Lurdes Vale, Administradora do Turismo de Portugal para a área da Formação, “além de representar um sinal de reconhecimento da qualidade da formação nas Escolas do Turismo de Portugal, a taxa de atividade destes cursos é resultado do investimento dos últimos anos nas equipas de gestão e de formadores, infraestruturas e equipamentos, bem como da parceria estratégica com instituições globais de referência e maior exposição internacional dos alunos – refira-se que um quinto dos alunos empregados desenvolve a sua atividade no estrangeiro”.

Este ano letivo, as Escolas de Hotelaria e Turismo receberam duas vezes mais candidaturas do que a oferta disponível para o novo ano letivo: 2.475 concorrentes para as 1.132 vagas existentes nos cursos de gestão turística, gestão hoteleira, serviço de restauração e bebidas e cozinha e pastelaria.

Em matéria de formação, o Turismo de Portugal tem como prioridade continuar a adequar os seus cursos à realidade do sector, apoiando a transformação do tecido empresarial através da formação e atualização de conhecimentos, aquisição de novas competências e promoção do network empresarial e profissional.

O relatório de inserção profissional foi realizado a 996 alunos dos cursos de formação inicial da rede escolar do Turismo de Portugal que acabaram a formação em 2012. O inquérito foi aplicado, aproximadamente, seis meses após a conclusão da formação.

Para mais informações sobre os cursos e as Escolas do Turismo de Portugal, entre no site das Escolas de Turismo de Portugal.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.