Alunos brasileiros iniciam formação de Turismo em Portugal

8

Os primeiros 50 alunos de universidades e escolas politécnicas brasileiras que vão receber formação em Portugal na área de Turismo e Hospitality, chegam hoje (18) a Lisboa, no âmbito do protocolo de intercâmbio assinado entre os dois países, no passado mês de setembro em São Paulo, no Brasil, à margem da ABAV 2013 – Feira das Américas, pelo secretário de Estado do Turismo de Portugal, Adolfo Mesquita Nunes e pelo ministro de Estado e Turismo Brasileiro, Gastão Dias Vieira.

Esta ação de formação terá a duração de dois meses e inclui vários módulos com aulas de inglês (generalista e aplicada ao Turismo), técnicas de atendimento a clientes com necessidades especiais (Turismo inclusivo na hotelaria), técnicas de gestão de riscos e segurança, hospitalidade, receção e acolhimento, gestão e organização de eventos turísticos.

O secretário de Estado, Adolfo Mesquita Nunes, considera que ”esta iniciativa pioneira posiciona Portugal como parceiro de referência para a formação internacional em língua portuguesa no setor da hospitalidade e do turismo. Além de ser um dos principais destinos turísticos do mundo e exportador líquido de viagens e turismo, o nosso País tem todas as condições para internacionalizar também o know-how acumulado durante décadas nestes setores. Acredito que com este esforço que agora se inicia poderemos ser, também neste domínio, uma potência no médio prazo”.

O projeto é financeiramente suportado pelo Ministério do Turismo do Brasil, a quem cabe a seleção e o envio dos estudantes brasileiros e todos os custos relativos a transporte aéreo internacional, alojamento, alimentação, deslocações internas em Portugal e despesas com material usado nas aulas. O Turismo de Portugal garante a colocação dos alunos nos cursos e facilita a sua permanência em território português durante a sua vigência.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.