A “problemática da depressão” foi tema de palestra em Altura

14

A palestra sobre a problemática da depressão, que teve lugar na passada quarta feira no Salão Paroquial em Altura e que tinha como convidado o psiquiatra Francisco Assis, médico do serviço de psiquiatria do Hospital de Faro, contou com uma plateia interessada, constituida por muitos jovens.

Numa análise científica e, ao mesmo tempo, descomplexada, o psiquiatra Francisco Assis fez uma caracterização dos vários tipos de depressão: a episódica, a recorrente e a crónica, para afirmar que só 20% dos doentes têm consciência do seu estado depressivo.

«As pessoas com esta patologia não convivem, não comunicam, sendo que 10% das depressões conduzem ao suicídio, daí a importância de um diagnóstico precoce. Todos temos de estar despertos para os primeiros sintomas», assegurou.

Mais à frente, e na sequência de um conjunto de questões e observações dirigidas pela assistência acerca desta doença que afeta 800 mil portugueses, Francisco Assis falou da depressão enquanto doença orgânica e dos fatores de risco a ela associados, bem como a relevância clínica, a incidência e prevalência, as consequências e os tratamentos.

A concluir, saudou a Câmara Municipal pela importância e utilidade da iniciativa, afirmando: «Temos de saber que a depressão é uma doença que requer tratamento médico».

Por seu turno, o médico e presidente da autarquia castromarinense, Francisco Amaral, realçou o papel das câmaras municipais na promoção das políticas de saúde que melhorem o bem-estar e qualidade de vida dos cidadãos, alertando que é fundamental lutar contra o preconceito da depressão, uma doença aceite mas incompreendida: “Há milhares de pessoas nas ruas com depressão e ninguém lhe dá pelo cheiro”, garantiu.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.