Vistos Gold captaram 353 milhões de euros em Agosto

Vistos Gold captaram 353 milhões de euros em Agosto

17

O programa de Vistos Gold registou no mês de agosto, mais 51 milhões de euros de investimento estrangeiro captado, dos quais 47 milhões são respeitantes a aquisição de imobiliário, segundo a CPCI – Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário.

O programa que desde o início, já gerou mais de 176 milhões de euros em receitas diretas para o Estado, atraíu nos primeiros seis meses do ano 621 milhões de euros em investimento estrangeiro, dos quais, 353 milhões foram apurados em Agosto.

Reis Campos, Presidente da CPCI recorda que “estes dados não refletem ainda qualquer efeito das recentes notícias sobre a proposta de criação de um novo imposto imobiliário que poderia abranger estes investimentos”, apelando a “uma grande ponderação, uma vez que este programa, para além dos efeitos evidentes que tem sobre o imobiliário e setores como o comércio e o turismo, já gerou mais de 176 milhões de euros em receitas diretas para o Estado, quer IMT, quer taxas administrativas. A mera renovação dos Vistos Gold já atribuídos resulta num valor de mais de 12 milhões de euros por ano. Colocar em causa a estabilidade fiscal é por em risco este Programa e enfraquecer Portugal face aos restantes países europeus que concorrem pela captação destes investidores”.

O dirigente diz que “o Programa de Vistos Gold é apenas a face mais visível do investimento estrangeiro em imobiliário português, que é uma das poucas áreas em que se está a tentar contrariar o profundo défice de investimento que se verifica em Portugal. No ano passado, conseguimos atingir os 3,3 mil milhões de euros e há a expectativa que esse valor possa continuar em crescimento”.

“Este deverá ser o momento em que a discussão terá de estar centrada nas potencialidades de programas como os Vistos Gold e o Regime de Tributação de Residentes não Habituais, de forma a contribuir significativamente para a coesão territorial e para a dinamização de domínios estratégicos como a Reabilitação Urbana e consequente criação de emprego”.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.