Outubro Rosa da Associação Oncológica do Algarve!

14
"Pink Day" Golfe dos Pinheiros Altos

Grupo que aderiu à proposta de Gavin Alderman

A Associação Oncológica do Algarve (AOA) faz um balanço positivo dos diversos eventos que realizou, assim bem como daqueles que foram da iniciativa de pessoas ou entidades, no âmbito do “Outubro Rosa”, o movimento internacional de alerta contra o cancro da mama.

No mês de Outubro, foram inúmeras as iniciativas de alerta para a problemática em todo o mundo, tal como no Algarve, estimulando a participação de entidades, empresas e população, promovendo corridas, espectáculos, edição de calendários que no caso da AOA, também editou o seu, intitulado “Todas as mulheres são guerreiras na luta contra o cancro”, partidas de golfe, etc.

Alguns dos eventos que marcaram o “Outubro Rosa 2013”, que a AOA não quer deixar de realçar, foram a “Mamamaratona 13”, o “Outubro Rosa em Fátima”, os “Chás Dançantes”, ou o “Seminário – Dia Nacional de Prevenção do Cancro da Mama”, quase todos anunciados nas páginas dos diversos orgãos de comunicação e sites de notícias, mas dois deles merecem uma referência por terem sido realizados por cidadãos estranjeiros, residentes no Algarve, como sucedeu com o “Pink Day” e a “Competição de Bowling”, duas iniciativas de altruismo solidário, que não tiveram o merecido eco nos media.

O “Pink Day”, foi um  evento organizado pela Secção feminina do Golfe dos Pinheiros Altos, para angariação de fundos destinados ao projeto “Casa Flor das Dunas” da AOA, que se realizou a 2 de Outubro, pelo 9º ano consecutivo.

Segundo o relato que nos chega, o evento decorreu com muita animação tendo sido reunidos 1.370,00€, cujo cheque foi entregue a Maria de Lurdes Pereira, da A.O.A., que agradeceu o gesto e aproveitou a oportunidade para transmitir aos presentes, informações relativas à atividade da AOA e à situação do projecto.

Também a “Competição de Bowling”, que decorreu na Isla Canela, em Espanha, merece o destaque da AOA, pelo sentido filantrópico e solidário que encerra em si mesmo, considerando que se trata de uma iniciativa pessoal, cuja história se conta em poucas linhas:

(.) Gavin Alderman, um estrangeiro residente no Algarve, decidiu homenagear a falecida esposa neste mês de Outubro e nesse sentido, lançou-se à realização de uma competição de Bowling, na qual reuniu um grupo de 56 jogadores, para um jogo de solidariedade na Isla Canela, cuja receita foi entregue à AOA, para apoiar o projecto “Casa Flor das Dunas”.
Relata o comunicado da Associação que Mr. Gavin Alderman se apresentou no dia 31 de Outubro na Sede da AOA, para entregar pessoalmente a receita obtida com o evento que organizou, no valor de 1.230,00€ (.).

O Conselho de Administração da Associação Oncológica do Algarve (AOA), mostra-se grato, sublinhando a forma como a comunidade estrangeira, está sempre atenta aos problemas sociais do meio em que está inserida.

A Associação Oncológica do Algarve (AOA), desafia à participação, todos quantos futuramente, tenham conhecimento da realização de eventos relativos ao Outubro Rosa, porque “estará a cuidar de si…”

A Associação Oncológica do Algarve (AOA), é uma IPSS com estatuto de Utilidade Pública, cujo foco e ação se centra na luta contra o cancro, doença que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, nas diversas variantes.

Sobre a Associação Oncológica do Algarve (AOA):

[box type=”note” align=”aligncenter” width=”610″ ]É uma Instituição Particular de Solidariedade Social, de utilidade pública, fundada em 1994 por um grupo de pessoas com experiência pessoal e profissional na problemática associada ao cancro. É constituída por voluntários.

O Dr. Santos Pereira, médico cirurgião do HDF durante vários anos, sensibilizou-se por este problema e com um grupo de pessoas ligados ao direito e à saúde, dispuseram-se a criar no Algarve uma Associação de luta contra o cancro e apoio ao doente oncológico. Foi este grupo inicial que fundou a Associação Oncológica do Algarve.

O principal objectivo desta Associação é prestar apoio social e humano ao doente oncológico, mediante a promoção de todas as diligências necessárias à sua integração na comunidade.

A AOA construiu um edifício de raiz, com o apoio de fundos comunitários (Interreg III-A) e apoios municipais, onde foi instalada a Unidade de Radioterapia do Algarve, uma vez que não existia tratamento por radiações, na região, e os doentes eram forçados a deslocar-se a Lisboa.

Adquiriu uma Unidade Móvel para Rastreio do Cancro da Mama, até então inexistente no Algarve, através de angariação de fundos com o evento anual Mamamaratona, Programa de Saúde XXI e apoios da comunidade, a qual iniciou o seu trabalho na região em Setembro de 2005.

Foi estabelecida uma parceria com a Administração Regional de Saúde do Algarve, para a realização do Rastreio do Cancro da Mama. Essa unidade tem vindo a percorrer todos os Concelhos do Algarve, a fim de fazer mamografias às mulheres cuja idade está dentro do grupo alvo para este tipo de diagnóstico (neste momento entre 50 aos 69).

A Associação Oncológica disponibiliza um Núcleo de Apoio Psico-social que é responsável pela Consulta de Psiconcologia (individual e familiar) e por Terapias de Grupo.[/box]




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.