O Algarve tem assegurado o abastecimento de água

7

Apesar da seca que se tem manifestado no território continental, no Algarve, a situação das disponibilidades hídricas para o abastecimento público ainda é favorável, estando atualmente asseguradas as necessidades para o abastecimento público até ao final do período seco de 2016.

De acordo com dados do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, mais de 20% do território português está situação de seca fraca a moderada e cerca de 80% em situação de seca severa a extrema. Uma situação que poderá levantar a questão das disponibilidades hídricas para as várias utilizações e, essencialmente para o consumo humano.

Segundo uma nota da Águas do Algarve, a situação em termos de disponibilidades de água superficial para o abastecimento público na região, é mais favorável no barlavento, onde os consumos também são superiores, já as disponibilidades a Sotavento vão ser alvo de um acompanhamento mais apertado no próximo período húmido.

Aguas do Algarve  dados Agosto 2015As disponibilidades hídricas nas 4 albufeiras que abastecem o Sistema Multimunicipal de Abastecimento de Água do Algarve, Odelouca, Bravura, Odeleite e Beliche, durante o período húmido deste ano hidrológico de 2015-2016 e face ao período homólogo, os caudais de regularização das albufeiras não reforçaram o armazenamento de água, com exceção da albufeira da barragem da Bravura, que esteve próxima de atingir a sua capacidade máxima.

Esta situação que ainda é favorável, resulta segundo a Águas do Algarve, do investimento efetuado na construção da barragem de Odelouca e da sua albufeira, associado a uma estratégia de gestão plurianual e integrada de todas as Origens de Água do Sistema Multimunicipal de Abastecimento de Água do Algarve, quer superficiais quer subterrâneas.

Em Outubro terá início um novo ano hidrológico, havendo a expectativa de melhoria do balanço hídrico com maiores afluências às diversas albufeiras, face aos consumos previstos e perdas, e consequentemente, o aumento das disponibilidades totais das albufeiras.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.