Lagos comemorou a cidade com ação de promoção turística

6

O 441º aniversário de Elevação de Lagos a Cidade teve como tema central o “Património e Reabilitação Urbana de Lagos”, uma ação que visou promover turisticamente, a cidade e a região, uma iniciativa, que contou com dezenas participantes

A ação de dinamização e promoção turística estava especialmente direcionada para guias-intérpretes, operadores turísticos, representantes de unidades hoteleiras, empresas de animação turística e outras com atuação na área do município, uma vez que o prinicipal objetivo é demonstrar todo o potencial cultural, patrimonial e turístico do município, reforçando as competências das pessoas e agentes que trabalham diretamente com os turistas que visitam o município durante todo o ano.

Para além desta ação, também outras duas decorreram no âmbito desta efeméride, ambas no Centro Cultural de Lagos: a inauguração da Exposição do Laboratório de Artes Criativas “KICK in THE EYE” (www.lac.org.pt), patente ao público até ao dia 12 de abril, e o espetáculo “Fado [em] Sinfonia”, organizado pela Academia de Música de Lagos.

No que diz concretamente respeito à sessão de abertura da Ação de Dinamização e Promoção Turística – cujo tema subordinante de todas as comunicações apresentadas foi o “Património e Reabilitação Urbana de Lagos” –  contou com a presença da Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Lagos, Maria Fernanda Afonso, que depois de dar as boas vindas a todos os presentes, fez questão de afirmar que o executivo municipal defende que, “para além do sol e praia, que são sempre fatores em que devemos apostar, também devemos aprender a explorar as outras vertentes do turismo, nomeadamente a cultural e a científica. A ideia é aprendermos a conjugar todas estas vertentes e tentarmos acabar de uma vez com aquela ideia instalada de que a vertente cultural é o parente pobre do turismo”. Convicta de que “sairemos desta sessão muito mais ricos, uma vez que não vamos apenas ouvir falar dos equipamentos/monumentos históricos, mas também da própria história da cidade”, Maria Fernanda Afonso, deu a conhecer aquele que será, na sua opinião, o grande desafio da autarquia no que a esta área concreta diz respeito: “saber transformar os excelentes produtos culturais que aqui temos em produtos turísticos, frisando que “a qualificação do nosso turismo também passa, indubitavelmente, pela nossa história”.

Um desafio igualmente apontado pelo Coordenador Principal da Unidade Técnica de Comunicação, Cultura e Turismo da Câmara Municipal de Lagos, José Viegas, que também aproveitou a oportunidade para relembrar que “a cultura, o património e a identidade particular de Lagos, têm-se afirmado, cada vez mais, como fatores diferenciadores e um complemento aos produtos turísticos tradicionais sendo, simultaneamente, importantes instrumentos no combate à sazonalidade”.

A iniciativa contou com intervenções de Rui Parreira, da Direção Regional de Cultura do Algarve (“Lagos: O Património Edificado”); Luis Azevedo Rodrigues, do Centro Ciência Viva de Lagos (“Centro Ciência Viva de Lagos – (também) ao serviço do Turismo Científico e Cultural”); Daniela Pereira, da Universidade do Algarve (“A Fortificação de Lagos”); Frederico Paula, da FuturLagos (“ARU – Área de Reabilitação Urbana de Lagos”)  e Elena Móran, da C.M de Lagos (“Lagos: A visibilidade das populações segregadas”).

Após o debate foi realizada uma visita orientada ao Centro Histórico de Lagos, guiada pela Mestre Daniela Pereira e pela Profª Margarida Agostinho, que teve como objetivo orientar o olhar dos participantes para diferentes leituras sobre o mesmo território, cruzando conhecimentos e saberes, aliando a História à Geologia e Paleontologia urbanas.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.