Faro reclama uma solução urgente para a viatura do INEM

Faro reclama uma solução urgente para a viatura do INEM

11

A alegada falta de recursos que obriga à paralisação da “viatura de emergência médica”, estacionada em Faro, no turno noturno, já originou por parte Rogério Bacalhau, o Presidente da Câmara, uma reclamação junto do Ministro da Saúde.

Num comunicado dirigido às redações, a autarquia divulga o teor do memorando enviado ao governante, no qual destaca a preocupação face ao incumprimento da promessa, de que a situação iria ser resolvida de imediato, tendo em conta que se aproximam as celebrações do Natal e Ano Novo, período em que a população residente, aumenta de forma muito significativa.

(…) É com grande preocupação que temos vindo a assistir ao desenvolvimento da situação criada em torno da ambulância do INEM estacionada no Hospital de Faro, paralisada durante a maior parte do turno nocturno no mês de Dezembro, por falta de recursos humanos.

Após as denúncias feitas pelos profissionais envolvidos nesta questão, que chegaram inclusivamente à Assembleia da República, foram anunciadas medidas pelo INEM que supostamente iriam pôr termo à triste realidade relatada.

Mas afinal, aproxima-se o Natal e o problema está longe de se encontrar resolvido. As medidas tomadas são de mero reforço das cargas horárias dos tripulantes e isso não constitui, de maneira alguma, a solução desejável e definitiva para esta debilidade.

Pelo contrário. Esta medida de cosmética não só não resolve o problema como até o agrava, pois propicia a diminuição da qualidade e da eficiência da operação, obrigando os profissionais a laborar em condições de extremo cansaço e fragilidade física e emocional.

Isto é, permita-me, não apenas pôr em risco os recursos humanos a cargo do INEM mas é, sobretudo, uma desconsideração para com a população do Concelho de Faro, que se vê privada de um atendimento de qualidade da única viatura do INEM no Município.

Vimos assim exprimir toda a nossa decepção em relação às medidas anunciadas pelo INEM que, reiteramos, mais não são do que mera cosmética.

Sr. Ministro, somos ainda a solicitar, com carácter de urgência, a tomada das medidas necessárias para impedir que a ambulância com maior atividade na região e que faz cobertura a Faro e zonas contíguas, opere em condições de sobrecarga dos seus tripulantes e demais colaboradores.

A subsistência desta situação coloca em risco a assistência médica de urgência e discrimina negativamente os farenses.

Na certeza de obter da parte de V. Exa. total compreensão em relação à nossa solicitação, fico a aguardar as suas prezadas notícias (…).




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.