Comunidades mais resilientes em São Brás de Alportel

Comunidades mais resilientes em São Brás de Alportel

9

A Tertúlia “Como escutamos as catástrofes”, que teve lugar na esta segunda-feira (21) no Salão Nobre dos Paços do Concelho de São Brás de Alportel, contou com um painel de oradores constituído por Carina Coelho, da Autoridade Nacional de Proteção Civil, Catarina Neves, jornalista da SIC e João Estevão, investigador da Universidade do Algarve.

A forma “Como Escutamos as Catástrofes” foi tema da tertúlia concretizada no âmbito do Dia Internacional para a Redução das Catástrofes, celebrado mundialmente a 13 de outubro, com o objetivo de sensibilizar a comunidade para a adoção de comportamentos de segurança na tentativa de construir cidades mais resilientes.

Carina Coelho apresentou resultados obtidos através de um simulador de Risco Sísmico e Tsunami, uma ferramenta que permite obter previsões de danos georreferenciadas, para melhor gerir casos de emergência após uma ocorrência. Este simulador calcula, utilizando um software adequado, um conjunto de parâmetros que descrevem a amplitude da ação sísmica dos efeitos sobre as diferentes infraestruturas construídas, obtendo uma previsão dos danos e da população afetada.

Tendo acompanhado bem de perto a situação vivida em Amatrice, cidade italiana fortemente abalada por um sismo de magnitude 6,2 no passado mês de agosto, a jornalista Catarina Neves partilhou o seu testemunho e a experiência vivida em cenários semelhantes, lançando a reflexão sobre as questões éticas e deontológicas com que se deparou durante a realização das suas reportagens.

O investigador em Engenharia Sísmica e docente na Universidade do Algarve, João Estevão, cruzou diversos dados para explicar o comportamento de diferentes infraestruturas e a dinâmica dos edifícios. Através de simulações e análise de diferentes parâmetros, o investigador fez uma abordagem sobre os efeitos provocados pelos sismos nas construções.

Atenta a esta temática, a Câmara Municipal promoveu o debate, por intermédio do Serviço Municipal de Proteção Civil, sobre a prevenção, os comportamentos a adotar e os efeitos de uma catástrofe natural.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.