A Segurança na internet começa em cada utilizador!

4

A internet está de tal forma vulgarizada que a maior parte dos utilizadores, mesmo ouvindo falar dos perigos que esta encerra, relaxam e passam completamente ao lado, não adotando qualquer tipo de medida preventiva, no que se relaciona com a sua própria segurança, a começar pelas password´s que utilizam a diário.

Nessa rotina de acesso à net, os avisos e as informações de alerta, passam completamente ao lado. Depois preenchem-se formulários sem se lhes dar a devida atenção, ou avaliar previamente o destino dos dados que são introduzidos.

Acessa-se a todo o tipo de sites, especialmente na multiplicidade de redes ditas sociais, que abundam na net e que são autênticas centrais de divulgação free.

Por fim vem as passwords que são utilizadas habitualmente, sem que se reflita primeiro e perceba que estas são a chave de acesso a toda a informação pessoal ou profissional, desde a mais simples e inútil, até à mais complexa e exclusivamente privada, que para a generalidade dos utilizadores, está sempre segura no desktop ou no smartphone pessoal.

Este é apenas mais um exemplo do cuidado a ter, quando se transmitem informações, ou se facilita nas passwords que são habitualmente utilizadas.

Segundo o “Mail Online” divulga hoje, especialistas da SpiderLabs, uma empresa de segurança que pertence à Trustwave e que realizava um trabalho de investigação ao cibercrime nas redes Holandesas, descobriram detalhes de dois milhões de contas roubadas por um “botnet malicioso”, de sites populares como o Facebook, Twitter, Google, de provedores de e-mail e muito mais.

As informações contidas na conta descoberta, num único endereço com servidor próprio, incluiam dados detalhados dos titulares das contas roubadas, incluindo as passwords, de 318 mil contas do Facebook, 70.500 da Gmail, Google e do YouTube, 59.500 da Yahoo e 21.700 do Twitter.

Segundo a notícia, a SpiderLabs entrou em contato com as autoridades holandesas, dando-lhes todas as coordenadas para que o servidor em causa seja desativado e informou igualmente todos os sites e serviços afetados, do que lhes estava a suceder. Os prestadores de serviços de Internet e computadores afectados também foram notificados.

A SpiderLabs analisou depois a lista de passwords encontrados nesse servidor e descobriu que a mais comum era a: ‘123456’ que era usada em quase 16 mil contas. Na lista de todas as passwords encontradas, o top 10 das mais usadas que era liderada pela tal ‘123456’, era seguida pela ‘admin’ e pela ‘123’.

Graham Cluley, um especialista em segurança, disse ao “Mail Online” que é extremamente comum as pessoas usarem esse tipo de passwords simples, chegando a reutilizá-las frequentemente nos mais diversos acessos e em várias contas, sem perceberem que são extremamente fáceis de decifrar.

Os especialistas da SpiderLabs, aconselham todos os utilizadores de internet, com contas de email e inscrições em redes sociais, a alterá-las regularmente como medida de segurança, evitando desse modo, vir a ter alguma surpresa que depois tenham de lamentar. Uma password deve ser sempre constituida por letras e números, com maiúsculas pelo meio, porque a segurança na net, começa em cada utilizador.

Por: Leitor Identificado




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.